Pro seu celular

Seu celular molhou? Confira o que fazer para ressuscitá-lo!

Compartilhar
Seu celular molhou? Confira o que fazer para ressuscitá-lo!

Seu celular molhou? Confira o que fazer para ressuscitá-lo!

Publicado em 11 de setembro de 2018

Existem diversas situações que podem resultar em um celular molhado. O dispositivo móvel pode cair do bolso direto na privada, estar desprotegido em uma tempestade repentina e até mesmo pode estar com você em uma queda inesperada na piscina.

Ainda que muita gente considere que um celular molhado jamais voltará a funcionar perfeitamente, o fato é que isso não significa que todos os seus arquivos, fotos, vídeos e contatos estejam perdidos ou que seja necessário trocar de aparelho.

Neste guia completo, mostraremos uma série de práticas e dicas úteis para que você não apenas saiba o que fazer caso seu celular tenha molhado, mas também como evitar esse tipo de problema. Quer saber mais sobre o assunto? Então, não deixe de ler até o final!

Retire o aparelho da água

celular molhado

O primeiro passo, certamente, é retirar o celular da água o quanto antes. Caso ele esteja funcionando, você deve desligá-lo imediatamente.

Lembrando que mesmo que as tampas de plástico sejam bastante apertadas, isso não evitará que a água entre no aparelho, mesmo que o período de contato tenha sido curto — até menos do que 20 segundos pode ser o suficiente para inundar o interior do dispositivo.

Não ligue o aparelho

Até que o processo de secagem esteja concluído, o celular não deve ser ligado em hipótese alguma, pois isso pode causar um curto-circuito e danificar permanentemente os componentes internos.

Além disso, é preciso lembrar que o aparelho provavelmente não terá sofrido grandes danos caso você o retire da água rapidamente. O problema maior acontece quando ele permanece em imersão por um longo período ou dentro da máquina de lavar durante todo o ciclo de lavagem.

Ainda assim, vale a pena tentar alguns procedimentos antes de desistir de recuperar o celular molhado.

Tome cuidado caso ele esteja conectado ao carregador

Desligue o fornecimento de energia elétrica

Se o aparelho estiver ligado à tomada, não tente tirá-lo da água! Isso é altamente perigoso e pode causar um grave acidente. Procure a caixa de energia e desligue os fusíveis para cortar o fornecimento de eletricidade para todas as tomadas e eliminar qualquer risco.

Confira se a eletricidade foi mesmo interrompida

Teste os interruptores para ver se as luzes acendem e confira todos os aparelhos eletrônicos para se certificar de que não é possível ligá-los. Caso nada funcione, significa que deu certo e toda a energia foi realmente cortada. Dessa forma, é seguro tirar o carregador da tomada e retirar o smartphone da água.

É importante frisar: não desligar os fusíveis antes de manusear o aparelho ligado à tomada pode causar um choque elétrico que pode ser fatal. Apesar da urgência em retirar o dispositivo móvel da água, é fundamental manter a calma para não agravar a situação.

Verifique o indicador de dano por água

Na maioria dos smartphones modernos há uma espécie de indicador que mostra se o telefone foi realmente danificado devido ao contato com a água. Geralmente, ele fica localizado em um canto próximo à bateria. O indicador é formado por um círculo ou quadrado na cor branca.

Caso o círculo ou quadrado apresente uma cor vermelha ou rosa, significa que a água atingiu o interior do celular e, possivelmente, ele foi danificado.

Remova a bateria, o cartão SIM e o cartão de memória

Depois de retirar o smartphone da água, é hora de iniciar os procedimentos de secagem do aparelho. Mas, primeiro, é preciso remover a bateria e os cartões do celular molhado. Se estiver com dificuldades para remover a bateria, no manual do equipamento você encontrará orientações sobre como proceder. ​

Todos os seus contatos e a maioria dos seus dados valiosos podem estar armazenados nos cartões SIM e de memória, correto? Sendo assim, podemos afirmar que salvar esses pequenos cartões pode ser mais importante do que recuperar o próprio aparelho. Por isso, depois de tomadas as devidas medidas de segurança, é importante que a bateria e os cartões sejam removidos o mais rápido possível.

Apesar de terem uma boa resistência à umidade, é possível que circuitos e componentes tenham sido danificados caso tenham permanecido muito tempo em contato com a água ou, principalmente, se o aparelho estava ligado a uma fonte de energia no momento de contato com o líquido.

Além disso, é necessário remover todas coberturas e componentes removíveis, incluindo qualquer tipo de conector externo (cartão de memória, fone de ouvido, capas etc.) ou tampas, para abrir a maior quantidade possível de frestas.

Caso você entenda um pouco de eletrônica, remova os parafusos e abra a cobertura do telefone para permitir que a umidade escape. Os telefones celulares são, normalmente, um pouco à prova d’água, de modo que eles possam ser utilizados na chuva e em ambientes úmidos. Isso significa que, uma vez que a água entra no telefone, é muito difícil secá-lo.

Seque o celular

Após ter removido todas as peças, acessórios e componentes, é hora de começar a secar o aparelho. Qualquer gota de água deixada no interior pode ser o suficiente para arruiná-lo, causando corrosão e mau contato.

Você pode contar com o auxílio de itens domésticos básicos para secar o celular molhado, como aspirador de pó, panos de tecido macio e até mesmo papel toalha.

Papel toalha ou pano

É preciso remover a maior quantidade de água o mais rápido possível. Por isso, para evitar que a água se espalhe, faça o seguinte:

Aspirador de pó

Um aspirador de pó pode ser uma ferramenta de grande utilidade no processo de secagem de seu celular molhado, pois ele é capaz de sugar a maior parte do líquido das partes internas do dispositivo com muito mais rapidez.

Para isso, mantenha o aspirador posicionado sobre as áreas mais afetadas por até 20 minutos, se for necessário, para que a água seja removida de cada área acessível. Esse é o método mais rápido para secar um celular molhado por completo.

Para você ter uma ideia, em alguns casos — a depender do nível de exposição à água — é possível fazer com que o aparelho volte a funcionar em até 30 minutos. Mas tome cuidado para não deixar o aspirador muito próximo ao celular, já que isso pode criar eletricidade estática, causando ainda mais problemas.

Se o smartphone teve muito contato com a água, não é recomendado ligá-lo até que você tenha certeza absoluta de que ele está completamente seco.

Arroz

Um elemento com grande capacidade de absorção pode ser de grande ajuda no processo de retirada de umidade, como o arroz, por exemplo. Deixe o celular no arroz cru, por no mínimo dois dias, em um saco ou tigela hermeticamente fechada. O arroz fará a absorção da umidade restante.

Lembre-se de virar o dispositivo móvel em posições diferentes em intervalos de horas, evitando sacudi-lo. Isso fará com que qualquer água que tenha restado no interior do celular seja escorrida para fora.

Sílica

Saquinhos com sílica podem ser facilmente encontrados dentro de frascos de multivitamínicos e medicamentos ou em embalagens de calçados e outros produtos que precisam que a umidade seja evitada. Se você tiver acesso a um deles, saiba que a sílica tem um poder de absorção muito maior do que o do arroz.

Coloque alguns saquinhos de sílica com o aparelho celular, mantendo-os dentro de um recipiente plástico ou saco que possa ser hermeticamente fechado. Deixe o dispositivo móvel dentro do recipiente escolhido o maior tempo que for possível, para que a umidade seja completamente absorvida.

Tome alguns cuidados especiais durante o processo

Mantenha o celular em descanso

Depois de tirar o dispositivo móvel do arroz ou de outro agente utilizado para extrair a umidade, deixe o aparelho descansar em uma toalha, lenços ou outros tipos de papéis absorventes. Lembre-se de que o objetivo é retirar toda a umidade do aparelho.

Repita os processos anteriores, se necessário

Se a umidade for evidente, repita os métodos que incluem o aspirador de pó e a sílica gel ou arroz.

Teste o celular

Após ter esperado ao menos 48 horas, chega o momento de testar o aparelho. Se possível, verifique se todas as partes do seu telefone celular estão limpas e, aparentemente, secas — incluindo frestas, saídas para periféricos e compartimentos.

Volte a colocar a bateria no telefone e tente ligá-lo. Se mesmo assim o celular não funcionar, tente colocá-lo no carregador sem a bateria; se ele ligar, é sinal de que você precisa trocá-la.

Se você seguiu o passo acima e, ainda assim, o celular não liga, é melhor levá-lo a uma assistência técnica autorizada. Às vezes, eles podem consertá-lo. Não tente esconder o fato de que o aparelho foi molhado — há indicadores internos que revelam a umidade e os técnicos estarão mais propensos a ajudar se você explicar exatamente o que aconteceu.

A menos que você tenha qualificação técnica para desmontar o celular, nunca faça isso por conta própria. Você pode acabar levando um choque ou sendo exposto a componentes químicos tóxicos, além de poder danificar permanentemente seu aparelho. Deixe esse trabalho para um profissional especializado.

Spray limpa-contato

Tendo em vista que o telefone pode não estar mais na garantia, se você ainda tiver problemas com o funcionamento depois de tentar todos os métodos citados, compre um conjunto de chaves de fenda especiais para abrir o aparelho.

Compre também uma lata de spray limpa-contato (produto utilizado para limpar contatos elétricos) e espirre-o no interior do celular. Ele seca rapidamente. Esfregue os resíduos com uma escova de cerdas macias. Pulverize com ar comprimido e/ou use o aspirador de pó por vários minutos para sugar ainda mais a umidade. Depois, cuidadosamente, feche-o novamente.

Mas, novamente, recomendamos que, caso você não tenha esse tipo de conhecimento, o ideal é procurar uma assistência técnica!

Dicas adicionais sobre o que fazer com o celular molhado

celular molhado

Como evitar um curto-circuito?

Estar molhado e ligado ao mesmo tempo pode causar um curto-circuito no telefone. Se você conseguir desligá-lo antes de ele entrar em curto-circuito, suas chances de salvá-lo serão boas.

É muito importante que você continue a secá-lo mesmo depois que ele comece a funcionar de novo, mesmo que você acredite que toda a água foi removida.

Deixar o celular em um ambiente muito seco (em frente a uma unidade de aquecimento de ar em movimento, por exemplo) por um longo período de tempo é tão importante quanto a remoção inicial da maior parte da água por meio de aspiração.

Uma dica: se, para secar o aparelho, você tiver que fazer algo que tome todo o seu tempo, você vai se entediar ou se cansar antes de ter feito o suficiente. Use um método que permita deixar o celular parado por horas, sem que seja necessária a sua intervenção.

E lembre-se: nunca use o secador de cabelos. O calor danifica os componentes do smarthone e pode piorar ainda mais a situação.

Como acelerar o processo de secagem?

Segure uma lata spray de ar comprimido (de cabeça para baixo, de lado ou em um ângulo viável para borrifar o ar) e use-o nas fendas, alto-falante, microfone e teclas do telefone.

Qualquer excesso de água que ainda estiver preso deve sair com esse procedimento. Se a lata ficar fria e você ainda não tiver terminado, espere alguns minutos antes de continuar, pois o ar frio pode fazer o excesso de umidade se condensar nas partes mais profundas do interior do telefone.

Esse processo deve ser seguido por outros métodos, como o do aspirador de pó, para remover de forma mais eficaz qualquer umidade residual mais profunda — o telefone deve estar totalmente seco por dentro para garantir que não haverá problemas mais tarde.

Mas tome cuidado, pois o conteúdo das latas de ar comprimido pode ser tóxico. Siga todas as recomendações disponíveis na embalagem.

Como estar preparado para esse tipo de situação?

É possível comprar kits de emergência para celulares molhados. É uma boa ideia ter um em casa, pois nunca se sabe quando você vai precisar dele. Assim, você não perde um tempo precioso indo à loja para comprar um.

Como aumentar as chances de salvar o aparelho?

Não deixe seu celular molhado por um longo período de tempo. Seque o aparelho assim que for possível. Remover o telefone celular da água rapidamente e tirar a bateria imediatamente aumentam as chances de salvar o aparelho. Mas lembre-se: não tente tirá-lo caso esteja conectado a uma fonte de energia.

Você pode usar um pouco de álcool em gel e um paninho para fazer uma limpeza, mas certifique-se de fazê-lo apenas no exterior do aparelho — e não faça isso perto de qualquer fonte de calor, nem mesmo do calor suave de um monitor. Não insira a bateria até que o cheiro da substância se dissipe.

Cuidados que devem ser tomados em relação ao aquecimento do aparelho

O ponto principal é secar completamente o aparelho antes de ligá-lo, e isso requer paciência.

Como já informamos, não use um secador de cabelo, em hipótese alguma. Ao contrário do que muita gente pensa, não é recomendável que você use esse equipamento. Se o ar for quente, ele provavelmente vai derreter os componentes — lembre-se de que a maioria das fabricantes fazem advertências sobre manter o dispositivo no carro ou expô-lo a fontes de calor.

O secador não deve ser utilizado nem mesmo no modo frio. A umidade pode acabar sendo empurrada ainda mais para dentro do aparelho, nos componentes pequenos e profundos, podendo causar corrosão e oxidação quando os minerais da água forem depositados sobre os circuitos.

Não aqueça a bateria, pois ela pode vazar e até explodir. O lítio presente no aparelho é sensível. Além disso, jamais coloque o aparelho em um forno ou micro-ondas para secá-lo. Isso vai destruir vários componentes eletrônicos do celular e causar danos ao forno, podendo até resultar em um incêndio.

Garantia

Para ajudar os técnicos a saberem que você deixou o aparelho cair na água, as fabricantes de celulares mais modernos colocam indicadores que mudam de cor na presença de um líquido dentro dos telefones.

Se o indicador sob a bateria foi acionado, os indicadores internos que você não pode visualizar, provavelmente, já foram acionados também. Isso resultará no pagamento pelo custo total do conserto.

Você deve estar ciente de que as garantias não cobrem danos causados pela água, somente os seguros — e, ainda assim, não são todas as companhias ou planos de seguro que cobrem danos causados por água.

É importante que você saiba que esses indicadores de danos causados por líquidos são conhecidos por serem acionados também em condições de umidade extrema.

Como você pôde conferir neste conteúdo, ter um celular molhado em mãos não é motivo para se desesperar, tampouco para descartar o smartphone e procurar um novo modelo para comprar.

Basta manter a calma e seguir os passos que citamos no decorrer do artigo, etapa por etapa. O segredo é agir de forma rápida — e segura — para aumentar suas chances de recuperar o aparelho.

Gostou do nosso guia completo sobre o que fazer para ressuscitar um celular molhado? Então, não deixe de preencher o formulário abaixo pra receber mais dicas exclusivas pro seu dia a dia.

Tags:DicasSOS

Assine a nossa newsletter

Receba as melhores dicas pro seu celular, internet e casa. E mais: conteúdos sobre séries e games


Últimas publicações