Pro seu celular

Conheça os riscos ocultos de celulares e carregadores falsos

Compartilhar
Conheça os riscos ocultos de celulares e carregadores falsos

Conheça os riscos ocultos de celulares e carregadores falsos

Publicado em 15 de fevereiro de 2018

Você possui um smartphone? Quantas vezes já teve que trocar o seu carregador? Dessas, em quantas você comprou um original? Se você respondeu “bem poucas” ou “nenhuma” nessa última pergunta, esse texto foi feito para você entender o risco de usar um carregador ou celular falso.

É muito comum ouvir alguém dizendo que precisa comprar um novo carregador, mesmo poucos meses depois de ter adquirido um novo aparelho. Os carregadores são itens muito frágeis e considerados caros, devido a seu tempo de vida útil, o que torna atrativo a compra de opções alternativas ou itens falsificados.

Parece uma boa opção, afinal, é “baratinho” e “bem melhor” que os originais, certo?

Aí que está o problema: a resposta é não! Os aparelhos e acessórios falsos nunca são melhores que os originais e, apesar de “baratinhos”, o investimento pode sair bem mais caro no final das contas.

Veja também como encontrar um celular perdido: confira 6 formas de rastrear o aparelho

Isso também inclui os celulares falsos: são produtos que não passam pelo mesmo processo de produção que os originais, com controle de segurança e uso de materiais adequados. No caso dos acessórios piratas, eles podem causar diversos problemas para o aparelho, como redução de sua vida útil, danos no software ou até mesmo explosões.

Por isso, é importante entender quais são os riscos envolvidos nessa compra. Para te ajudar, listamos abaixo os principais problemas de comprar um carregador falso ou mesmo um aparelho não original — e dicas para não comprá-los por engano! Confira:

Quais problemas são causados por um carregador ou celular falso?

Bloqueio pela ANATEL

Recentemente a Agência Nacional das Telecomunicações (ANATEL) divulgou nota avisando que irá bloquear celulares falsificados no Brasil. Para isso, a empresa vai usar a certificação da agência e verificar a validade do IMEI, a fim de diminuir o consumo desses aparelhos.

Carregamento lento

Um problema muito comum ao usar carregadores falsificados é o carregamento lento do aparelho. Isso acontece porque os cabos USB de carregamento apresentam dois fios distintos: um para o carregamento de energia e outro para transferência de dados.

Os aparelhos piratas normalmente são feitos com materiais de menor qualidade e apresentam espessura menor, o que diminui a amperagem suportada pelo carregador. Além disso, o carregamento lento pode culminar em superaquecimento do aparelho.

Danificação dos componentes internos

Por causa da má integração entre os itens originais e os falsificados, a danificação de componentes internos do smartphone é outra falha comum nos itens pirateados.

Um exemplo disso são os diversos casos de usuários Apple que comprometeram a entrada de carregamento, o botão de bloqueio e entrada USB de seus aparelhos, usando acessórios falsos. A placa responsável por essa função chama-se Chip U2 IC e é extremamente sensível, aumentando os riscos de danos com uma peça má fabricada.

Aproveite e clique aqui para saber o que esperar dos novos modelos de celular?

Prejudicar a bateria

Carregadores falsificados não apresentam um circuito fundamental que garante o bom funcionamento da bateria. Esse circuito interrompe o envio de energia para a bateria quando ela está completa, o que garante sua eficiência — o que não acontece com produtos piratas.

Acidentes graves

Esse é o pior problema que pode acontecer ao usar um carregador ou celular falso: eles são responsáveis pela maioria dos casos de incêndios e explosões relacionados a aparelhos. Além da possibilidade de choques que causam danos graves à saúde, podendo até mesmo causar paradas cardíacas.

Mesmo que os carregadores originais e piratas sejam parecidos, os falsos não apresentam sistemas de segurança para a prevenção desses problemas.

Como identificar um produto falsificado?

Agora que você percebeu como esse investimento pode trazer prejuízo, deve estar se perguntando como identificar um carregador ou aparelho falso, certo? Para isso, existem algumas informações que você deve observar. Confira como se prevenir:

Preço

O primeiro aspecto — e o mais óbvio — é o valor pago no produto.  Se ele estiver muito abaixo da média, sem motivos aparentes, é um sinal de que o carregador ou aparelho pode não ser autêntico.

Faça uma busca em diversas lojas ou use um comparador de preços na internet, para descobrir qual é a faixa de preço médio do produto que você busca e usá-la como referência.

Local de compra ou fornecedor

O segundo ponto a ser avaliado é o local de compra. Lojas oficiais da marca ou varejistas autorizados são boas opções — dê preferencia aos nomes mais conhecidos no mercado. Comprar por meio de sites também pode ser uma excelente alternativa: as lojas online costumam apresentar ofertas melhores e preços mais atrativos.

A melhor forma para usar vendedores online é fazendo uma consulta sobre sua reputação antes de finalizar a compra. Pesquise em sites de avaliação, como o Reclame Aqui, para verificar se o site é seguro e representa uma empresa real.

Selo da Anatel

O selo de homologação da Anatel é obrigatório para todas as baterias de aparelhos celulares. Sempre verifique o selo: nele constam o logo da empresa e um número de homologação, um requisito obrigatório para a venda legal do produto. ​

Qualidade do material e aspectos físicos

Celulares originais apresentam um acabamento refinado e de boa qualidade. Os materiais usados para sua produção normalmente são superiores aos de aparelhos que não são autênticos, o que afeta o seu valor final no mercado.

Avalie o teclado do aparelho, se as partes estão alinhadas, a qualidade da tela e também o peso do aparelho. Desconfie de itens muito leves ou com aparência estranha.

Além disso, atente-se à marca apresentada. Muitos falsificadores usam fontes e nomes muito semelhantes ao original, colocando apenas alterações que podem passar por um olhar desatento — como, por exemplo, usar a palavra “Sansung” ao invés de “Samsung”.

Tela do aparelho

Como falamos, a qualidade do celular falso será inferior, e isso se aplica também à tela do aparelho. Observe se a imagem apresentada é boa e se o touchscreen é de má qualidade, apresentando respostas lentas ao toque — uma característica de aparelhos falsificados.

Câmera

Outra forma simples de identificar um celular falso é avaliando sua câmera. Os aparelhos mais recentes apresentam câmeras com boa resolução, com no mínimo 5 MP, e uma simples fotografia já pode indicar se o aparelho é original ou não.

Software usado

Após verificar a parte exterior e não perceber nada de estranho, você deve avaliar o software do aparelho. Celulares pirateados tentam imitar o software original, apresentando uma interface muito semelhante. Por isso, preste atenção a pequenos detalhes como o formato dos ícones, textos padrões, fontes e configurações.

Normalmente, o sistema operacional é bem limitado e não engana por muito tempo. O ideal é passar alguns minutos testando seu uso: leia com atenção todas as informações, acesse as configurações e procure erros, além de abrir os aplicativos já instalados.

Se o celular não for original, você pode encontrar traduções incompletas e erros de ortografia, além de aplicativos que não funcionam e travam o aparelho.

Então, será que vale a pena usar um carregador ou celular falsificado? Com todos esses problemas, o barato pode sair bem mais caro! Se você gostou dessas dicas, compartilhe nas suas redes sociais e ajude outras pessoas a não cair nessa armadilha!

Assine a nossa newsletter

Receba as melhores dicas pro seu celular, internet e casa. E mais: conteúdos sobre séries e games


Últimas publicações